Nas últimas semanas temos falado muito sobre as vendas em lojas virtuais, mas a performance do seu site é boa para você ou a sua clientela?

Primeiramente você deve entender que performance é um conjunto de fatores como faturamento, conversão, ticket médio, recorrência de compras e UX (experiência do usuário) que afetam diretamente o desempenho do seu site. 

É muito comum que empresas paguem para estar na primeira página de pesquisa do Google, mas pra que pagar se você pode alcançar a primeira página de forma gratuita? Os algoritmos do Google dão preferência para sites com performance otimizados na hora do ranqueamento.

Entrar em um site otimizado e moderno traz para o consumidor uma ótima experiência de consumo. Imagine que o seu site é uma loja física, ter uma loja física organizada é um ponto que pode auxiliar na hora da decisão de compra.

Algumas ferramentas podem te ajudar a analisar o desempenho do seu site como por exemplo o PageSpeed Insights e o Google Analytics, fornecidos pelo próprio Google, e o Tag Tracker. 

Performance de e-commerce

O Tag Tracker é uma extensão gratuita que tem como função descomplicar a análise do disparo de tags em seu site. Assim, você consegue monitorar o status das tags, segundo regras e padrões estabelecidos pelas documentações das mídias as quais elas se relacionam, assegurando seu bom funcionamento.

O SEO (Search Engine Optmization) é uma forma de trazer visitantes para o site por meio de palavras-chaves pesquisadas nos buscadores. Não basta ter apenas essas palavras e sim um conteúdo relevante e interessante para tornar o site conhecido, e assim aumentar a taxa de conversão. O conteúdo aproxima a marca do consumidor e quando for o momento de fechar o negócio, ele estará com o e-commerce na cabeça.

Além das ferramentas, você também pode utilizar a técnica de up-selling ou cross-selling. O up-selling funciona pela sugestão de um produto parecido com aquele que o consumidor está observando em sua loja, porém, com um preço de venda maior ou uma margem de lucro mais elevada. Já o cross-selling funciona pela sugestão de produtos complementares àquele que o cliente está vendo no e-commerce. 

Também é fundamental priorizar a navegabilidade do consumidor, tanto em um desktop quanto em um dispositivo mobile, assim ele será capaz de encontrar com facilidade tudo o que precisa saber a respeito do produto, formas de pagamento e condições de venda.

E ai, o seu e-commerce está em dia ou precisa melhorar?

Fale com a gente! 

Receba o plano de marketing digital feito especialmente para seu negócio. Agende seu diagnóstico!

Deixe seu comentário